Meio&Mensagem

Na telinha e na telona

Alessandro Vicente, mídia online na Paris Filmes, destaca que a própria distribuidora tem nos games, seja na linguagem ou em títulos importantes

Luiz Gustavo Pacete

A relação do entretenimento com os games é de longa data. E observar a potência desses universos é importante para entender os próprios rumos dessas duas indústrias. Alessandro Vicente, mídia online na Paris Filmes, destaca que a própria distribuidora tem nos games, seja na linguagem ou em títulos importantes, um apoio importante na estratégia de divulgação dos filmes. Para o lançamento de John Wick 3 – Parabellum, foram realizadas parcerias para a divulgação do filme junto à comunidade gamer. Uma delas foi com a Epic Games com o lançamento de um evento especial no Fortnite chamada “Recompensa por Wick”. Exemplos como esse reforçam a importância dos games para impulsionar os filmes como destaca Vicente, a seguir.

Meio e Mensagem – Qual é a relação entre cinema e games e como as duas indústrias se retroalimentam?
Alessandro Vicente – A indústria de cinema, principalmente Hollywood, tem como característica se apegar a tendências e contextos de determinadas épocas para compor seus filmes, os tornando gêneros, posteriormente. Foi assim com musicais quando o cinema começou a ter som, depois vieram os westerns, filmes de máfia, ficção científica, desastres naturais e, atualmente, filmes de super-herói. Desde o surgimento dos primeiros jogos eletrônicos, Hollywood tenta transformar essa nova linguagem, que conquistou milhões de fãs ao redor do mundo e movimentou centenas de milhares de dólares em receita, em gênero cinematográfico, com o intuito de arrebatar uma nova categoria de moviegoers. Apesar de ser uma grande oportunidade de mercado, o início não foi nada promissor. A relação cinema e games vem se retroalimentando cada vez mais ao longo dos anos, com jogos se inspirando mais nos filmes através do investimento de roteiros elaborados para contar suas histórias, no uso da linguagem cinematográfica na composição de cenas, trilhas sonoras marcantes e no investimento pesado em tecnologia para se aproximar à realidade. Vale destacar esse último ponto, no qual cinema e videogame misturam suas linguagens com atores de Hollywood interpretando alguns personagens através de captura de movimento ou emprestando suas vozes.

M&M – Por que o mercado de games tem crescido tanto e por qual motivo se tornou tão representativo dentro do entretenimento?
Vicente – Ano após ano, o mercado de games tem crescido no Brasil e no mundo, tanto em número de jogadores quanto em faturamento anual. Seja através de jogos de sucesso, streamers famosos, youtubers especializados ou pelo grande crescimento e relevância do e-sports que está atraindo legiões de jovens no mundo todo. De acordo com uma pesquisa da Superdata, as receitas dos jogos digitais renderam cerca de US$ 82 bilhões nos oito primeiros meses de 2020, representando um crescimento de 13% em relação ao mesmo período do ano passado. Falando do mercado brasileiro, uma pesquisa da Comscore deste ano constatou que o País conta com mais de 84 milhões de gamers (70% dos usuários de internet no Brasil) entre mobile, PC gamer e console, formado por 51% do público masculino e 49% do público feminino e está inserido, praticamente, em todas as faixas etárias e classes sociais. Além disso, é o único país da América Latina que está entre o top 5 no ranking daqueles com maior número de usuários online. Neste ano, a pandemia de Covid-19 ajudou no crescimento no mercado de game através do isolamento social, mas podemos atribuir essa expansão a dois fatores principais. Primeiro, a variedade de jogos oferecida aos gamers, seja para consoles, PCs ou celulares. Jogos como Fortnite, PUGB, The Last Of Us Parte 2 e, recentemente, Fall Guys e Among Us, dominaram os fóruns, gameplay, streaming e discussões nas redes sociais. E, segundo, pela imersão que os jogos proporcionam ao público gamer, tal qual o cinema faz com maestria para os apaixonados por cinema. Fazer parte do storytelling, se imaginar como o herói da história e estar inserido em determinado mundo por algumas horas é fator determinante para os sucessos das duas indústrias do entretenimento.

“A relação cinema e games vem se retroalimentando cada vez mais ao longo dos anos, com jogos se inspirando mais nos filmes através do investimento de roteiros elaborados para contar suas histórias e no uso da linguagem cinematográfica na composição de cenas”

M&M – Como é desenvolver estratégias de marketing a um público que, na maioria das vezes, é tão apaixonado?
Vicente – Assim como o público de cinema, o público gamer preza por qualidade e inovação. Falar com um público tão aficionado deve ser tratado com muita dedicação e, principalmente, cautela. A comunidade gamer é participativa e muito exigente, por isso, a estratégia das marcas para esse grupo deve ser específica, pois é um público único, com características e hábitos de consumo completamente diferentes de qualquer outro público que são trabalhados normalmente. É preciso conhecer e respeitar muito esse universo e pensar com a cabeça de um jogador para conseguir gerar identificação entre marca e consumidores. Onde minha marca pode impactar esse público? Seja fazendo inserções durante lives na Twitch, seja patrocinando um time de e-sports ou um vídeo no canal de um youtuber game famoso, não existe uma resposta certa. Mas, o mais importante é realizar pesquisas e entender como são os hábitos dos consumidores gamers, como se relacionam com as marcas e como fazem suas compras e consumos no dia a dia.

M&M – Você é especializado em mídias sociais, logo, como se comporta o público gamer e como enxerga a importância de se trabalhar com esse grupo nas redes sociais?
Vicente – Com experiência direta com o público gamer através de lançamentos de alguns filmes com a Paris Filmes, é extremamente importante monitorar as redes sociais para saber qual o assunto do momento dentro da comunidade, qual o jogo está sendo falado no momento, o que está sendo dito do console do momento, como está a guerra Sony x Microsoft x PC gamers para tentar usar alguma coisa como marketing de oportunidade para o meu negócio. Um exemplo recente desse monitoramento foi a oportunidade de usar a repercussão de Among Us para divulgar o nosso próximo lançamento de terror As Faces do Demônio, utilizando a premissa presente tanto no jogo quanto no game de “encontrar o impostor”, gerando conversa com o público moviegoer que também é gamer. Por ser muito participativo, exigente e imediatista, o gamer não tem medo de criticar. Casos recentes como o lançamento do evento no Fortnite com John Wick e até mesmo a participação do FalleN na dublagem de Robin Hood são exemplos de conversas que geraram engajamentos extremamente positivos.

Compartilhe

Publicidade
Publicidade

Patrocínio